in

Presa em caso Ketelen, mãe de agressora cita torturas e dispara contra filha: ‘Ela tem que pagar’

Ketelen ficou cinco dias em coma gravíssimo e acabou não resistindo após sofrer uma parada cardíaca.

UOL
Publicidade

Presa na última quarta-feira (28) após determinação da Justiça, a mãe da madrasta da pequena Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, Rosângela Nunes, de 50 anos foi autuada por omissão de socorro à menina de 6 anos, que foi torturada e espancada por Gilmara Oliveira e Brena Luane Barbosa Nunes, mãe e madrasta, respectivamente.

Um pouco antes de ser detida, a mãe de Brena trouxe novas revelações sobre as sessões de medo e tortura que a menina Ketelen foi vítima nas mãos das duas agressoras na casa em que elas moravam no bairro Jardim das Acácias, em Porto Real, no Rio de Janeiro.

A dona de casa confirmou que Ketelen foi alvo de agressões seis dias antes de morte dela, mas rechaçou ter presenciado supostas torturas sofridas pela criança em outras oportunidades. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A prisão de Rosângela foi decreta após determinação da juíza Priscila Dickie Oddo, que apontou uma omissão da mãe de Brena. Segundo a magistrada, a mulher poderia ter impedido as agressões contra a menina. Além das duas agressoras, a vítima estava na casa de três quartos com Rosângela, e a mãe dela, uma aposentada de 86 anos, que com o dinheiro do benefício da previdência mantinha a casa.

Detido, o trio responderá por homicídio triplamente qualificado. O caso está sob responsabilidade da 100ª DP (Porto Real).

Sem perdão

Na entrevista ao UOL, Rosângela justificou a sua omissão por conta de ameaças e violência que era vítima da própria filha e desejou que Brena pague pelo crime brutal. 

“Não a perdoo jamais. Ela tem que pagar. Não chorei [quando Brena foi presa]. Mães não devem passar a mão na cabeça de filhos que erram”, desabafou Rosângela, um pouco antes de ser presa por envolvimento no caso que chocou o país. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade