in

Paulo Guedes diz que vai ser impossível para o governo atender demanda da saúde: ‘O Estado quebrou’

O ministro da economia avaliou a situação da saúde durante reunião do Conselho de Saúde Complementar.

Poder360
Publicidade

Nesta terça-feira (27), durante uma reunião do Conselho de Saúde Complementar, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Estado “quebrou” e que, diante da atual situação onde os recursos estão escassos, o Governo Federal não terá capacidade para atender a demanda crescente exigida na área da saúde.

“O Estado quebrou”, disse o ministro de Jair Bolsonaro. “Todo mundo vai procurar serviço público, e não há capacidade instalada no setor público para isso. Vai ser impossível”, declarou durante a reunião.

De acordo com Paulo Guedes, a capacidade de atendimento do setor público não foi limitado por conta da pandemia, que chegou ao Brasil no início de 2020, mas sim o que ele citou como “o avanço da medicina” e o “direito à vida”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Segundo o ministro, todo mundo quer viver 100 anos ou mais, porém, o Estado não possui a capacidade de investimento necessária para acompanhar a busca por atendimento médico no setor público, que tem se mostrado crescente.

Um estudo da Secretaria do Tesouro Nacional confirma o que foi dito por Paulo Guedes. Antes mesmo da pandemia, o mesmo já apontava a necessidade de um adicional nos gastos com saúde entre os anos de 2020 e 2027 por conta do envelhecimento populacional.

Com a chegada da pandemia e, consequentemente, o início de uma crise de saúde pública no Brasil, R$ 42,7 bilhões foram gastos a mais no setor. Agora, em 2021, o Governo Federal tem liberado, por meio de créditos extraordinários, os gastos de pouco em pouco. O teto de gastos em vigor vale por 20 anos e tem possibilidade de revisão a partir de 2026.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Higor Mendes

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.