in

Comida estragada e pão mofado: Ketelen era obrigada a se alimentar desta forma; castigos fortes vêm à tona

As duas agressoras da menina estão presas há quase uma semana de forma preventiva no RJ.

CONEXÃO AMAZÔNICA - EXTRA - MONTAGEM
Publicidade

O caso de morte da pequena Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, de 6 anos, comoveu o país e gerou uma grande onda de revolta por conta da crueldade praticada pela madrasta e a própria mãe da criança. Após cinco dias internada em coma gravíssimo, a vítima não resistiu aos ferimentos provocados pela sessão de tortura.

Investigando o caso profundamente, a equipe da 100ª DP (Porto Real-RJ) já colheu diversos depoimentos para elucidar o caso completamente. Nesta terça-feira (27), o jornal “O Globo” trouxe detalhes da rotina de fome, castigos e surras que Ketelen era vítima.

Comida estragada e pão mofado

De acordo com as investigações, o castigo mais comum enfrentado pela vítima era ser obrigada a se alimentar com comida estragada e de comer pães mofados. A Polícia Civil já identificou que Ketelen começou a ser castigada com agressões no dia 16, quando bebeu uma caixa de leite, que acabou caindo no chão na sequência. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Ketelen foi espancada por quatro vezes entre a sexta-feira (16) e o domingo (18). Em uma violência contra a vítima, as agressoras utilizaram o cabo de TV como chicote. A criança ainda recebeu chutes na barriga, além de ter sido arremessada contra uma parede, chegando a desmaiar.

Na segunda-feira (19), uma equipe do Samu foi acionada pela mãe da criança, e os socorristas se depararam com a vítima em estado gravíssimo. Quando constatado as evidências de violência contra ela, uma equipe da polícia foi acionada para comparecer ao endereço e fazer a detenção das duas agressoras.

Gilmara e Brena, mãe e madrasta, respectivamente, confessaram a ação criminosa em depoimento à polícia e estão detidas de forma preventiva há quase uma semana. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade