in

Em carta escrita na prisão, Monique muda versão e diz como encontrou Henry: ‘Descoberto e com a boca aberta’

Monique Medeiros escreveu uma carta de 29 páginas onde relata tudo sobre sua vida com Jairo Souza.

G1 | Divulgação | Montagem Ingrid Machado
Publicidade

Presa preventivamente sob suspeita de ter participado da morte do filho, Monique Medeiros, mãe de Henry, escreveu uma carta reveladora que foi divulgada por seus advogados. De acordo com o site G1, a professora pede para que a polícia lhe ouça novamente, alegando que foi ameaçada e treinada para mentir em seu primeiro depoimento.

Na carta escrita de próprio punho, Monique conta em 29 páginas toda a sua vida ao lado de Jairinho, desde o momento em que lhe conheceu no mês de agosto do ano passado. A professora relata que os dois se aproximaram através das redes sociais e logo marcaram um almoço para que se conhecessem melhor.

Monique define Jairinho como um homem inteligente, charmosos e persuasivo. No mês de setembro do ano passado, a professora foi pedida em namoro pelo vereador e se divorciou do pai de seu filho, Leniel Borel. A mãe de Henry afirmou que estava realizada em finalmente poder dar uma vida melhor ao filho.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Porém, segundo ela, o sonho acabou se tornando um pesadelo quando passou a observar o comportamento agressivo e manipulador de Jairinho. Monique revelou que ela era monitorada pelo namorado, que possuía um ciúme excessivo e chegou a ameaça-la em uma ocasião em que ela tentou pôr fim ao romance.

A mãe de Henry mudou seu depoimento e afirmou que na noite da morte do filho, foi acordada por Jairinho chamando-a para ir até o quarto do menino que estaria respirando mal. Em seu primeiro depoimento, Monique afirmou que ela teria encontrado o filho desacordado antes do então namorado. A professora deu detalhes do momento: “Fui correndo até o quarto, meu filho estava de barriga para cima, descoberto, com a boca aberta, olhos olhando para o nada”.

Por fim, Monique afirmou que não havia um só dia que não sofresse pela morte do filho e que daria tudo para tê-lo de volta. A professora disse, ainda, que só percebeu que vivia em um relacionamento abusivo após ser presa e que finalmente podia contar toda a verdade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade