in

Babá de Henry havia alertado a mãe do menino sobre agressões do padrasto: ‘Toda vez ele faz isso’

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu Monique Medeiros e Jairo Souza nesta quinta-feira (8).

Instagram | Henry Borel Medeiros | Jornal Extra
Publicidade

Nesta quinta-feira (8), a Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu o inquérito sobre a morte do menino Henry Borel, de apenas 4 anos. Henry faleceu no último dia 7 de março enquanto estava sob a tutela da mãe, Monique Medeiros, e do padrasto, o vereador Jairo Souza. Em depoimento à polícia, o casal afirmou que o menino havia sofrido um acidente doméstico.

Após 4 semanas de investigações, a polícia chegou à conclusão que Jairo espancou a criança violentamente culminando em sua morte. Monique, mãe do menino, teria ciência de que o filho já havia sido agredido pelo companheiro. O casal foi preso na manhã desta quinta (8).

De acordo com o Jornal Extra, a polícia concluiu, ainda, que a babá do menino havia alertado Monique sobre as agressões impostas por Jairo, e que, em uma ocasião, o vereador se trancou em um quarto com Henry para agredi-lo. Em depoimento, a babá da criança mentiu e afirmou que o patrão mantinha uma boa relação com o menino.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em uma troca de mensagens entre a babá e Monique, a funcionária afirma que Jairo havia dado “uma banda” e chutado ele, “sendo que toda vez ele faz isso”. Monique insistiu para que a babá desse mais detalhes sobre as agressões, e ela respondeu que Henry havia lhe dito ser ameaçado pelo padrasto. A polícia passou a suspeitar do comportamento da mãe após o velório do menino.

Segundo as investigações, Monique teria ido a um salão de beleza na Barra da Tijuca logo após sepultar o filho. Nesta semana, o casal chegou a criar um site com o nome A Verdade Henry Borel Medeiros. Na página inicial, a defesa afirmou que o site foi criado para que toda a verdade sobre o caso fosse revelada, e que o casal provaria sua inocência através da Justiça.

Publicidade
Publicidade