in

Mãe e padrasto de Henry são presos sob acusação de tortura; Monique não teria presenciado a cena

O casal estava em Bangu, no Rio de Janeiro, quando foi encontrado pelas autoridades.

Veja
Publicidade

O caso do menino Henry Borel Medeiros é um dos assuntos mais comentados das últimas semanas no Brasil. O menino foi encontrado caído no chão por sua mãe, a professora Monique Medeiros e levado para um hospital pela mulher e seu companheiro, o vereador Dr. Jairinho.

Monique e o namorado se tornaram os principais suspeitos da morte de Henry. Isso porque, apesar de a mulher ter dito que o óbito poderia ser ocorrido enquanto o filho caiu da cama, a perícia analisou e constatou que não houve acidente doméstico.

De acordo com os exames, Henry apresentava lacerações e lesões condizentes com as de uma agressão. Com esse fato, Dr. Jairinho e Monique passaram a ser investigados pela morte do menino, que tinha apenas quatro anos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Na manhã desta quarta-feira (08/04), a polícia do Rio de Janeiro prendeu Monique e o namorado. A acusação contra o casal é de tortura, considerando a categoria de lesão que a criança apresentou durante o exame pericial.

A professora e o vereador foram levados para a 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca, onde irão prestar depoimento e depois seguirão para o sistema penitenciário. De acordo com as investigações da polícia, Monique não teria presenciado a tortura contra o filho.

Durante a investigação, o pai do menino, o engenheiro Leniel Borel, foi excluído dos suspeitos. Henry havia passado o fim de semana com ele e o entregue à mãe poucas horas antes de sua trágica morte no apartamento onde morava com o padrasto e a genitora. Mais informações sobre o caos podem ser divulgadas a qualquer momento.

Publicidade
Publicidade
Aurilane Alves

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral. Pode entrar em contato comigo por meio do Instagram @paolla.evellyn