in

Adolescente de 13 anos incendeia a própria casa após mãe proibi-lo de jogar no celular

O menino ainda tentou roubar a arma de um dos policiais que atendeu a ocorrência, além de recebê-los com socos e chutes.

Reprodução
Publicidade

No último domingo (4), um adolescente de 13 anos de idade incendiou a própria casa após ser proibido pela mãe de utilizar o celular, que costuma usar para jogos eletrônicos. O caso aconteceu em Goianésia, a 175 km de Goiânia. 

O incêndio foi provocado pelo menino após um surto de raiva do mesmo com a discussão ocorrida com sua mãe. Além disso, o garoto também agrediu os policiais que atenderam a ocorrência.

Segundo a Polícia Militar, o adolescente pediu o celular da mãe emprestado para jogar, porém, ela recusou, o que fez com que o jovem ficasse extremamente irritado a ponto de atear fogo nos móveis da sala utilizando álcool e fósforos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A mãe do garoto, que estava no quintal da residência no momento em que seu filho cometeu o crime, demorou alguns minutos para se dar conta de que o cômodo estava pegando fogo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu conter as chamas, que já haviam consumido o sofá e parte do forro da sala de estar. No momento da chegada dos policiais, o adolescente ainda demonstrava muita agressividade e recebeu os PMs com chutes e socos, além de uma tentativa frustrada de pegar a arma de um dos agentes, que precisaram utilizar algemas para conter tamanha agressividade.

De acordo com a mãe, esta não seria a primeira vez que o filho age de forma agressiva e violenta. Ela ainda acrescentou afirmando que tal comportamento do jovem teve início há cerca de dois meses por conta do uso excessivo do celular.

O caso é investigado pela Polícia Civil de Goianésia e está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar. O adolescente, que não teve a identidade revelada, foi levado para a delegacia, mas não foi apreendido por conta de sua atitude não ter sido acompanhada de grave ameaça e violência.

Publicidade
Publicidade
Higor Mendes

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.