in

Grávida de gêmeos morre de Covid-19; os bebês também morreram

Elisângela dos Santos, 27 anos, se internou no dia 22 de março e morreu no Domingo de Páscoa.

G1
Publicidade

A pandemia do coronavírus já infectou mais de 132 milhões de pessoas e mais de 2,87 milhões já perderam a vida para a doença em todo o mundo. O vírus surgiu em meados de dezembro de 2019 e pouco tempo depois, se espalhou em todos os continentes do planeta. No Brasil, o vírus já infectou mais de 13, 1 milhões de pessoas e mais de 337 mil já morreram devido às complicações da Covid-19.

Em meios a tantas mortes, está a da jovem Elisângela dos Santos, de 27 anos, e os dois filhos gêmeos que perderam a luta para a Covid-19 no último domingo (4), no Rio de Janeiro (RJ). De acordo com o esposo da vítima, identificado como Erinaldo, esta era a primeira gravidez da esposa e ambos estavam ansiosos com a chegados dos gêmeos, Alisson e Bernardo

Sundo o marido o momento era vivido como um sonho pelo casal, pois sempre tiveram a vontade de ser pais. Erinaldo relatou que a esposa foi infectada com o vírus, mas seu estado de saúde estava bem e ambos pensavam que ela ia vencer a doença, pois no 10º dia ela não tinha febre e nenhum dos outros sintomas da Covid.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Porém, no dia seguinte sua esposa começou a passar mal de repente e teve que ser internada no dia 22 de março, no Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo. Erinaldo relatou que a esposa teve que ser intubada e levada para a UTI.

Segundo o rapaz, nos 14 dias que sua esposa ficou internada no hospital, ela não fez nenhum teste de Covid. Erinaldo relatou que eles ficaram sabendo que ela estava com a doença após fazer um teste de farmácia confirmando a doença, antes dela dar entrada no hospital.

O hospital me informou que ela estava sendo acompanhada pela obstetrícia, mas no momento em que eles deveriam ter agido, eles não fizeram nada. Não tentaram salvar a vida dos meus filhos Allison e Bernardo.

Elisângela morreu no domingo de Páscoa, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. Através de uma nota a direção do hospital relatou que todos os procedimentos necessários foram feitos com o intuito de salvar a mãe e os bebês, mas que infelizmente não foi possível.

Publicidade
Publicidade
Francisco Nunes

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional.