in

Caso Henry: denúncias graves apontam agressões de Jairinho em menina no motel e garoto com rosto desfigurado

Padrasto do menino Henry Borel tem sido envolvido em diversas denúncias de agressões.

REPRODUÇÃO RECORD TV / ARQUIVO PESSOAL MONIQUE MEDEIROS
Publicidade

Envolto no caso de morte do enteado Henry Borel, de 4 anos, o vereador Dr. Jairinho tem sido acusado de um histórico violento contra ex-namoradas e crianças.

Nesta sexta-feira (02), a revista “Veja” trouxe novos desdobramentos de depoimentos de testemunhas na investigação da morte do menino, e de forma exclusiva evidenciou de fortes acusações de forma detalhada, supostas agressões que o vereador teria cometido.

A reportagem da “Veja” entrou em contato com uma das ex-namoradas de Jairinho, que confirmou os ataques à filha já relatados anteriormente, e trouxe novos detalhes do relacionamento que teve com o parlamentar que durou entre 2010 e 2013. Em um dos relatos, a mulher descreve que a menina, na época com quatro anos, foi levada a um local, que pela descrição, parecia ser um motel.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

No local, a menina disse ter sido despida pelo parlamentar, que entrou com ela no banheiro, abriu o chuveiro e chegou a bater a cabeça dela diversas vezes na parede, além de ter afundado a cabeça da criança na piscina com os próprios pés. 

A mulher disse que resolveu colocar tudo à tona após a morte de Henry Borel, e que chegou a receber um telefonema de Jairinho, em tom intimidador. 

Outro caso

Ainda segundo apuração da “Veja”, uma amiga de uma ex-namorada de Jairinho relatou agressões fortes contra o parlamentar, mesmo com a mãe da vítima negando o crime de maus-tratos, na época na delegacia. A mulher se relacionou com o vereador entre 2014 e 2016.

Segundo esta amiga, Jairinho tentou dopar essa namorada em um hotel, e chegava a sair sozinho com o menino de 5 anos, filho dessa ex-namorada. Em uma dessas oportunidades, o garoto voltou parecendo que havia sido torturado, com rosto inchado e desfigurado e olhos fêmur 

Leia mais em: https://veja.abril.com.br/brasil/caso-henry-os-relatos-de-agressoes-do-dr-jairinho-contra-outras-criancas/. A explicação para tais hematomas foi uma queda de cabeça.

Em outra situação, o menino apareceu com a perna fraturada próximo ao fêmur, a justificativa foi de que ele ficou preso no cinto de segurança e tropeçou ao deixar o carro do parlamentar. Nestes dois casos, o vereador levou o menino em clínicas de conhecidos dele.

Publicidade
Publicidade