in

Caso Henry: após reconstituição, laudo dirá se mãe e padrasto do menino serão acusados de homicídio

A morte ainda misteriosa do garoto de quatro anos tem intrigado o Brasil e a polícia.

UOL/Montagem
Publicidade

Na tarde desta quinta-feira (01/04), uma equipe da Polícia Civil do Rio de Janeiro esteve no apartamento onde Henry Borel Medeiros morava com a mãe e o padrasto. Eles realizaram uma reprodução da morte do menino para tentar apurar mais informações relevantes do ocorrido.

A polícia usou um boneco de características semelhantes às de Henry para fazer a simulação do triste episódio, par o qual ainda não há uma solução. O padrasto e a mãe da vítima não compareceram, apesar de terem sido intimados pelo juiz para se fazerem presentes.

O laudo da perícia no apartamento deve sair em até 15 dias. Esse documento irá ajudar na decisão do delegado responsável, que irá decretar se o casal, que mora no condomínio Majestic, na Barra da Tijuca, deve ser indiciado pela morte de Henry ou se trata de um acidente doméstico, como alega a genitora da vítima.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A morte de Henry

O menino, de quatro anos de idade, havia voltado da casa do pai por volta das 19h20 do último dia 7 de março após os dois passarem o final de semana juntos na casa do engenheiro, Leniel Borel, que foi casado com a mãe do garoto, Monique Medeiros.

Henry, segundo a mãe, foi para o quarto dela enquanto ela ficava com o namorado, o vereador Dr. Jairinho em outro cômodo da casa. Monique afirmou que, durante a madrugada, quando ela levantou, se deparou com o filho caído no chão. 

A professora disse em depoimento que acredita que o filho poderia ter caído da cama e se machucado. Porém, após investigação da perícia, ficou aparente que Henry não se machucou em um acidente doméstico, segundo os tipos de ferimentos que mostrava em seu corpo.

O delegado responsável pelo caso já ouviu diversas pessoas que poderiam ter informações relevantes a respeito da morte de Henry, como o padrasto, a mãe, o pai, empregadas, médicos e a psicóloga da vítima.

Publicidade
Publicidade
Aurilane Alves

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral. Pode entrar em contato comigo por meio do Instagram @paolla.evellyn