in

Caso Henry: polícia encontra algo estranho na casa de Henry, faz exame e resultado é exposto

As autoridades estiveram presentes na casa nesta quinta-feira para reprodução da morte.

UOL/Montagem
Publicidade

Nesta quinta-feira (01/04), equipes da perícia do Rio de Janeiro estiveram presentes no apartamento onde Henry Borel Medeiros morava com a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, Jairo Souza Santos Júnior, o DR. Jairinho, médico e vereador.

O objetivo da visita dos profissionais à residência do menino, que morreu no último dia 8, após lacerações e lesões em várias partes do corpo, era realizar o procedimento de reconstituição do óbito do garoto, de apenas quatro anos.

No local, peritos coletaram várias amostras das paredes do quarto e levaram para análise. O resultado dos elementos encontrados foram negativos para sangue. O material foi guardado para possível exame de DNA no futuro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mãe e padrasto não foram à reconstituição

A Justiça havia determinado que Monique e Jairinho  comparecessem à reconstituição da morte de Henry Borel. O advogado de defesa do casal pediu às autoridades que adiassem o procedimento, mas a solicitação foi negada pelo delegado que está à frente do caso.

Mesmo a mãe e o padrasto de Henry não se fazendo presentes no local da reprodução, no condomínio Majestic, no Rio de Janeiro, a polícia e a equipe de perícia compareceu, pois o procedimento é de fundamental importância para dar continuidade à investigação.

No momento, a morte de Henry continua sem resolução. A polícia já descartou possibilidade de acidente doméstico, como sugeriu a mãe da vítima. Ele teve múltiplas lesões na cabeça e rins. As investigações estão prosseguindo para apurar mais informações e várias pessoas foram ouvidas.

Publicidade
Publicidade
Aurilane Alves

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral. Pode entrar em contato comigo por meio do Instagram @paolla.evellyn