in

Dicas de como se manter ativo dentro de casa em época de lockdown

Mas, afinal: o que acontece com o nosso corpo quando praticamos exercícios?

GETTY IMAGES
Publicidade

Que a prática de atividade é fundamental para a saúde física e mental, todo mundo já sabe. E em época de pandemia, se movimentar é ainda mais importante para ajudar a manter a saúde em dia. Com essa nova onda da Covid, ficar em casa é mais que necessário, mas não é por esse motivo que você deve ficar parado.

Mas, afinal: o que acontece com o nosso corpo quando praticamos exercícios?

O começo de toda e qualquer atividade, é no cérebro, mais precisamente, no córtex cerebral (a famosa massa cinzenta e onde fica o corpo celular do neurônio), que ativa todo o sistema do corpo. O músculo é o primeiro que começa a trabalhar e, por isso, demanda mais oxigênio para ter energia. Com isso, os pulmões passam a ter um fluxo maior de entrada e saída de ar, reflexo da atividade respiratória mais intensa e, quanto mais nos mexemos, maior nosso fôlego, que não nos deixa com a sensação de falta de ar.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Essa troca mais intensa nos pulmões também acelera a frequência cardíaca, já que o sangue precisa ser bombardeado mais rapidamente para levar o oxigênio para a musculatura liberar o gás carbônico. Com isso, para permitir o fluxo vascular, a pressão máxima (fase de contratação do coração) sobe e a mínima (fase do coração relaxado) permanece estável. Por último, é a vez da regulação térmica, que acontece no hipotálamo, que tem o suor como resultado de uma ação de alta na temperatura corporal.

Além disso, durante a prática aguda de atividade física, a adrenalina e a noradrenalina são ativadas, dilatando os vasos sanguíneos, aumentando a taxa metabólica e liberando glicose e ácidos graxos no sangue, que nos dão energia para se manter em movimento. Endorfina e a serotonina também são liberadas, proporcionando sensação de bem-estar, impactando de forma direta no nosso humor e ajudando a minimizar chances de depressão e ansiedade.

Para ajudar a manter – ou até mesmo criar – uma rotina nessa fase, a médica especialista em Estilo de Vida, Dra. Lívia Salomé, dá algumas dicas:

Alongue-se: o alongamento ajuda na flexibilidade do corpo, além de ajudar a não perder força muscular. Comece o dia com um alongamento mais completo e, se você trabalha muito sentado, pare a cada 50 minutos e faça cinco minutos de alongamento;

Caminhe: caminhar na área comum do seu prédio, condomínio ou até mesmo na sua rua, já ajuda. Tire vinte minutos por dia para uma caminhada leve, sem forçar para evitar lesões;

Pule corda: para quem tem um condicionamento físico melhor, a corda é um ótimo exercício aeróbico e pode ser feito até enquanto você assiste seus seriado favorito;

Substitua o elevador por escada: para quem mora em prédio, essa troca é sempre muito valiosa – não só em época de pandemia. Trocar um ou dois andares por dia já são suficientes para manter a capacidade cardiorrespiratória;

Use a faxina a seu favor: aproveite o momento da faxina como um treino e, na medida do possível, troque eletrodomésticos pela sua força. Exemplo: dê descanso para o aspirador de pó e use a vassoura. Deixe para usar só em caso de muita necessidade;

Faça agachamentos: o agachamento parece inofensivo, mas é excelente para manter a força muscular das pernas e lombar, além de trabalhar o equilíbrio. Para ajudar na postura, a dica é esticar os braços, flexionar levemente os joelhos e fazer o movimento como se fosse sentar no sofá, voltando à posição inicial com a coluna reta;

Fique em pé sempre que possível: aproveite ligações ou momentos que está respondendo mensagens para ficar em pé e até caminhar pela casa. Se não tiver essa oportunidade, pare a cada cerca de uma hora e faça isso por alguns minutos.

Medite: apesar da meditação não ser uma atividade física, ela é uma atividade mental, que é tão importante quanto mexer o corpo. Comece meditando dez minutos por dia com exercícios de respiração, o que ajudará muito na ansiedade e qualidade de sono. Se você tem dificuldades ou nunca meditou, há uma série de meditações guiadas na internet e até aplicativos gratuitos;

“Não podemos esquecer que manter uma boa alimentação e a ingestão de pelo menos dois litros de água, também é fundamental para manter nosso corpo e mente funcionando bem. E também indico buscar um hobby por pelo menos alguns minutos por dia, algo que desconecte dos problemas e faça a cabeça relaxar. Tudo isso é muito importante nesse momento complexo que vivemos”, explica Dra. Lívia. 

Publicidade
Publicidade
Anna Müller

Escrito por Anna Müller

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.