in

Insatisfeito, João Doria diz que Ministério da Saúde precisa agir como promete o seu novo ministro

Nesta quarta-feira, 31, o governador de São Paulo, João Doria, defendeu o discurso de Marcelo Queiroga, mas criticou o seu ministério.

REUTERS/Amanda Perobelli
Publicidade

Para o governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), o Ministério da Saúde ainda não está no “padrão desejado” para apoio aos governos estaduais.

Nesta quarta-feira, 31, Doria afirmou que mesmo diante da boa vontade demonstrada pelo novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que, segundo ele, fez um discurso acertado em seus primeiros dias, o corpo técnico do ministério ainda não está correspondendo às expectativas de Queiroga.

Uma das principais demandas pedidas pelos governadores é a reabilitação pela pasta envolvendo os leitos que foram desabilitados no final do ano passado. Essa medida acabou motivando uma disputa na Justiça para o refinanciamento das vagas em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para pacientes com Covid-19.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Doria, ressaltando a boa vontade e o discurso assertivo do novo ministro da Saúde, diz que agora é necessário que o seu ministério comece a corresponder de acordo com o seu discurso. João Doria ressalta que o Ministério da Saúde precisa agir da mesma forma que é prometida por Queiroga. “Precisa agir como promete o seu novo ministro”, disse o governador.

Vale ressaltar que também na manhã desta quarta-feira, o Instituto Butantan liberou ao Ministério da Saúde mais 3,4 milhões de doses do imunizante da Coronavac. Diante disso, desde janeiro de 2021, 36,2 milhões de doses já foram entregues pelo instituto ao ministério.

Atualmente, com mais de 314 mil mortos vítimas da Covid-19, a maioria dos estados brasileiros sofrem com o colapso na área da saúde, falta de leitos de UTI e insumos para intubação dos pacientes.

Publicidade
Publicidade