in

Novo Ministro da Defesa celebra golpe de Estado de 64 e explica

Walter Braga Netto é o novo ministro da Defesa e, em seu primeiro texto, ele falou sobre as celebrações do golpe militar de 1964.

Braga Netto e Bolsonaro - Globo
Publicidade

Walter Braga Netto é o novo ministro da Defesa e, em seu primeiro texto, ele falou sobre as celebrações do golpe militar de 1964. Essa terça-feira (30), no mesmo dia em que os comandantes das Forças Armadas pediram demissão de suas funções, se iniciou uma nova era na cúpula da Defesa brasileira. Em seu primeiro ato, Braga Netto reforçou a importância dos militares no golpe de estado contra o governo constitucional de João Goulart. Porém, o general reforçou que o golpe só deve ser entendido pelo “contexto da época”. Ainda assim, crescem os receios após esta reestruturação das Forças Armadas.

Governo de Bolsonaro pode celebrar golpe de 64

O golpe militar de 64 levou a uma ditadura no Brasil por 21 anos. Acontecimentos com presos políticas, torturas, censura e vários outros atentados contra os direitos humanos aconteceram após a queda do governo do presidente João Goulart, como ressalta o portal Yahoo.

O contexto atual é bem diferente, falou Braga Netto. E a Justiça permitiu que o governo de Bolsonaro pudesse celebrar o golpe militar, nesse 31 de março. Na ordem do dia, Braga Netto falou na importância do evento no caminho para a pacificação do país naquele contexto histórico e político.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

“As Forças Armadas acabaram assumindo a responsabilidade de pacificar o país, enfrentando os desgastes para reorganizá-lo e garantir as liberdades democráticas que hoje desfrutamos”, falou Braga Netto, que elogiou não só o papel das Forças Armadas. Ele exaltou ainda a mobilização de vários setores da sociedade para esse “movimento de 31 de março de 1964”.

Braga Netto garante importância das Forças Armadas

Esta celebração acontece no meio de alguma agitação no governo. A troca do Ministro da Defesa e consequente saída dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica estão causando alguns temores de que o Governo atual possa politizar e aumentar sua influência sobre as Forças Armadas.

Porém, e ainda sobre essa celebração do golpe militar, Braga Netto reforçou que esses eventos tiveram seu contexto. Os eventos “fazem parte da trajetória histórica do Brasil” e que devem ser entendidos e celebrados dessa forma. Hoje, o quadro político é diferente, mas o papel das Forças Armadas continua sendo o de proteger a população, garantindo os poderes constitucionais, de acordo com o novo Ministro da Defesa.

Publicidade
Publicidade