in

Jairinho trocou mensagens com suposta amante depois da morte de Henry e detalhe impacta: ‘nenhum momento’

Menino de 4 anos morreu no dia 8 de março, horas depois de ser deixado com mãe em um condomínio no Rio.

Extra
Publicidade

A edição do programa “Fantástico” do último domingo (28) trouxe revelações bombásticas acerca das investigações no caso de morte do menino Henry Borel, de 4 anos. A reportagem teve acesso de forma exclusiva aos depoimentos prestados na última semana.

Um dos fatos que chamaram a atenção das pessoas que acompanham as investigações da ocorrência é que o padrasto do menino, o vereador Dr. Jairinho (Solidariedade) vinha trocando mensagens com uma ex-mulher, mesmo mantendo relacionamento com a mãe de Henry. A mulher disse que recebia ajuda financeira do parlamentar e costumava conversar com ele nas madrugadas. 

Os dois tiveram conversas antes e depois da morte do menino de 4 anos. O curioso do relato da testemunha é que ela afirma que horas depois do acontecido, Jairinho trocou mensagens com ela, mas em nenhum momento falou sobre a morte da criança. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

“Que em nenhum momento Jairinho comentou com a declarante sobre a morte de seu enteado”, aponta o relato da testemunha. 

Ainda segundo a mulher, ela só veio tomar conhecimento da morte de Henry Borel por amigos em comum que tinha com Dr. Jairinho e por informações veiculadas na imprensa. 

Psicóloga vai depor

Nesta segunda-feira (29), foi confirmado que a psicóloga que vinha atendendo Henry desde fevereiro, após a separação dos pais, irá comparecer na 16ª DP (Barra da Tijuca) para prestar depoimento.

A profissional chegou atender o menino de 4 anos em cinco sessões. Logo após o divórcio, o pai de Henry, Leniel Borel, chegou a um acordo com a ex-esposa, Monique Medeiros, para que o filho fosse acompanhado por uma psicóloga, para poder contornar o cenário de separação dos pais. 

Publicidade
Publicidade