in

Médico denuncia festa clandestina ao lado de hospital em São Paulo

A festa ocorria normalmente ao lado da UPA localizada, na Zona Leste, da capital paulista.

Reprodução/G1
Publicidade

O estado de São Paulo está passado pelo seu pior momento na pandemia causada pela Covid-19. O governador, João Doria anunciou diversas medidas para tentar conter o avanço do vírus no estado. A fase emergencial de da quarentena de São Paulo pode se estender, pois as medidas adotadas não foram suficientes para frear o contágio dos paulistanos.

São Paulo vive um grave momento, algumas cidades já relataram a dificuldade de manter o abastecimento de oxigênio dos hospitais, diretores de unidades hospitalares já informaram que há escassez de medicamentos que auxiliam no tratamento, principalmente aqueles destinados a intubação e em muitos municípios há a falta de leitos de UTI.

Assim como o governador do estado de São Paulo, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas adotou algumas medidas para manter o isolamento social, e a criação de um super feriado de 10 dias foi uma delas. Entretanto, a desobediência as medidas de isolamento que vem chamando a atenção.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Neste fim de semana, um médico que atua na UPA, localizada em Itaquera, Zona Leste da capital realizou a gravação de um vídeo em que denunciava a realização de uma festa clandestina ao lado da unidade de saúde. O médico, Nelson Muzel gravou um vídeo em que é possível ouvir a música alta invadindo a UPA. 

Aqui atrás é o barulho dos caras fazendo festa, irmão. A gente não consegue falar com os pacientes dentro do quarto, o barulho é tão grande lá dentro que a gente não consegue se ouvir ou ouvir o que o paciente está falando“, declarou o médico indignado. De acordo com o profissional, na UPA se encontra 73 pacientes internados por conta de Covid-19, o estado desses pacientes varia de moderado a grave.

O profissional declarou que realizou a denúncia ligando para a polícia várias vezes, entretanto, não foi atendido. O médico cobrou um posicionamento da prefeitura de São Paulo.

Publicidade
Publicidade