in

Família enterra corpo de idosa por engano em SC e detalhe em outro velório ajuda a descobrir negligência

Em nota divulgada, unidade hospitalar apontou que o erro foi de responsabilidade do serviço funerário.

ND+/UOL: Montagem
Publicidade

Duas famílias residentes em Santa Catarina passaram por momentos desconfortáveis nesta semana. Preparando o velório da idosa Elisia Wunsch, de 92 anos, os parentes dela constataram que sua aparência estava diferente.

Desconfiados, os familiares resolveram analisar características do corpo e, ao fazer isso, deram conta de que se tratava de outra pessoa. A grande prova de que haviam sido vítimas de uma negligência foi evidenciado após notarem que a idosa estava com as duas mamas, e a familiar que eles perderam havia retirado um dos seios em uma mastectomia. 

A Polícia Civil foi acionada no local e, através de exames foi constatado que a família velava o corpo de uma idosa de 94 anos. Elisia, por sua vez, havia sido enterrada horas antes pelos parentes da outra idosa, em Presidente Getúlio, que fica a 44 km da cidade de Ascurra, onde ela residia. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Revolta

Inconformados com a confusão, exigindo que o corpo de Elisia fosse exumado, os familiares da idosa afirmaram que vão à Justiça. 

“Vamos procurar nossos direitos porque a responsabilidade era do hospital e da funerária. Ninguém quer assumir a falta de respeito em uma hora dessas”, disse o neto de Elisia, Marcos Roberto Wunsch.

Pronunciamento

Em nota, o Hospital Doutor Waldomiro Colautti, de Ibirama, afirmou que realizou todos os protocolos de identificação dos corpos das duas vítimas. A unidade hospitalar acusa o serviço funerário de ter sido responsável pela troca das idosas, uma vez que a outra senhora que havia falecido e a unidade também aguardava o recolhimento do corpo. A Polícia Civil investigará o caso para punir os responsáveis pela confusão.

Publicidade
Publicidade