in

Auxílio Emergencial Residual: conheça o calendário completo para pagamento das parcelas de R$ 300

Segundo o ministério da Cidadania, cerca de 27 milhões de brasileiros serão beneficiados com a nova leva de pagamentos.

Pedro Ladeira/Folhapress
Publicidade

A primeira leva de pagamento dos valores residuais do Auxílio Emergencial começou a ser paga no dia 30 de setembro, conforme o calendário divulgado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Por meio da Portaria nº 496, o governo federal estabeleceu as diretrizes para o pagamento aos brasileiros que não fazem parte do programa Bolsa Família, o que diz respeito aos inscritos por meio do Cadastro Único (CadÚnico) ou pelo aplicativo da Caixa Econômica Federal.

Publicidade

Conforme apresentado pelo Ministério da Cidadania, cerca de 27 milhões de brasileiros receberão as novas parcelas de R$ 300. As mães solteiras, que anteriormente recebiam valores de R$ 1200, passarão a receber a quantia de R$ 600.

Publicidade

A maneira como os pagamentos serão realizados é muito semelhante ao que já vinha acontecendo. Os beneficiários serão divididos por ordem do mês de nascimento, com depósito realizado a partir da poupança digital aberta pela Caixa Econômica Federal para recebimento do benefício.

Segundo o ministro Onix Lorenzoni, da Cidadania, a extensão do Auxílio Emergencial até o fim do ano reforça o comprometimento do Governo Federal em ajudar as pessoas mais pobres do Brasil a enfrentar a forte crise financeira ocasionada pela pandemia do coronavírus. Ele garante ainda que a rede de proteção continuará a toda população em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Os primeiros beneficiados na nova fase são aqueles que foram contemplados com o benefício em abril, atendendo aos critérios previstos na MPV nº 1.000/2020, e que já receberam todas as parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial.

Os beneficiados que se tornaram elegíveis nos meses de maio, junho e julho receberão o depósito do dinheiro em outubro, novembro e dezembro, respectivamente. Essa nova leva de pagamentos se estende até dezembro de 2020, sem condições de ser prorrogada, segundo Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Como de costume, os pagamentos serão realizados a partir das poupanças digitais dos beneficiários. A liberação para o saque respeitará uma ordem cronológica de acordo com a data de nascimento, assim como vinha acontecendo.

Publicidade
Henrique

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.