in

Mãe esconde bebê por 5 meses em armário; irmão a alimentava com restos de comida

Caso chocante foi revelado nesta sexta-feira (9); detalhes são perturbadores.

Daily Mail
Publicidade

Durante uma festa de aniversário na casa de Yulia, de 37 anos, convidados ouviram choro de bebê vindo de um dos quartos. A mulher alegou que era uma boneca, mas um outro convidado da festa resolveu checar. Ao entrar no quatro, percebeu que o barulho vinha de dentro de um armário.

A bebê Katya estava dentro de uma mochila. Após descobrirem a criança, a polícia foi chamada. A história toda é aterrorizante. Katya nasceu em abril. Yulia não contou sobre a gravidez para ninguém. Amigos e familiares não sabiam que ela tinha uma bebê.

O único que sabia era o outro filho de Katya. O garoto de 13 anos era quem alimentava a irmã, com restos de comida. A menina chorava, provavelmente, além de estar em um local inapropriado, porque tinha fome. O adolescente era ameaçado pela mãe para não contar nada a ninguém. A mulher não procurou ajuda médica nem antes nem depois de ter a filha.

Publicidade

Yulia teria planejado matar Katya assim que ela nasceu. Não o fez, mas trancou a menina no armário com a esperança de que ela morresse. A bebê de cinco meses foi diagnosticada com desnutrição grave e levada a um hospital da cidade de Ecaterimburgo, na Rússia. O caso foi reportado pelo Krasnoturyinsk Live e publicado nesta sexta-feira (9), no Daily Mail.

Publicidade

O Comitê de investigação Russo abriu o caso contra Yulia. A mulher vai passar por atendimento psicológico. Pelo crime de tortura, ela pode pegar até sete anos de prisão, de acordo com a legislação da Rússia. Ao Krasnoturyinsk Live, o porta-voz da polícia de Sverlovsk, Valerv Gorelvkh, classificou a história como horrenda. “É difícil acreditar nesta história horrenda. Mas por mais difícil que seja dizer isso, é verdade”, afirmou.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br