in

Internada e sem previsão de alta após ficar entre a vida e a morte, médica mostra picadas de jararaca

Dieynne Saugo foi picada enquanto se banhava em uma cachoeira no Mato Grosso do Sul.

Instagram Dieynne Saugo/Montagem Ingrid Machado
Publicidade

Um passeio divertido na cachoeira junto aos amigos quase tirou a vida da médica Dieynne Saugo no último dia 30 de agosto. A jovem foi picada por uma jararaca, cobra peçonhenta típica da região de Mato Grosso, enquanto se banhava em uma queda d’água. Sthefani Saugo, irmã da médica, revelou que a família não tinha noção da gravidade dos ferimentos.

Logo após as picadas, os locais apresentaram grande inchaço, e os médicos chegaram a falar em amputação. Dieynne foi socorrida até um hospital de Cuiabá, onde deu entrada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado grave. A jovem passou por duas cirurgias.

A médica precisou passar por uma traqueostomia devido ao comprometimento respiratório. De acordo com o site R7, Dieynne usou as redes sociais para mostrar as picadas que recebeu da jararaca na região do pescoço e na mão esquerda. A jovem afirmou que muitas pessoas estavam questionando sobre os locais das picadas.

Publicidade

Em decorrência do grande edema que se formou, os médicos optaram por fazer uma cirurgia de traqueostomia, pois através do exame de Tomografia constatou que havia 70% de comprometimento das vias aéreas”, explicou a jovem, que publicou fotos das picadas ainda internada na unidade hospitalar.

Publicidade

View this post on Instagram

Muitas pessoas me perguntaram onde foram as picadas, então fiz esse carrossel com fotos pra mostrar pra vocês. 👉 A primeira picada foi na região submentoniana , por isso essa região está inchada e com hematoma (1* foto). Em decorrência do grande edema que se formou, os médicos optaram por fazer uma cirurgia de traqueostomia, pois através do exame de Tomografia constatou que havia 70% de comprometimento das vias aéreas. Após a cirurgia tive um sangramento intenso e precisei receber transfusão sanguínea, mesmo assim não controlou. Por isso decidimos transferir para um hospital onde houvessem melhores recursos. 👉 A 2* e 3* picadas foram na mão esquerda, que levou à uma Síndrome compartimental com compressão dos nervos mediano, radial e ulnar. Precisei fazer fasciotomia, um procedimento cirúrgico no qual a fáscia é cortada para aliviar a pressão e tratar a perda de circulação em uma área de tecido ou músculo. A fasciotomia foi necessária para salvar o membro, pois havia o risco de necrose muscular ou até mesmo amputação. Há 2 dias fiz a cirurgia para fechamento da fasciotomia – sem complicações 🙌 As 2 últimas fotos foram tiradas hoje! Perceberam como melhorou? ☺️ “Em verdade vos digo: se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que fiz com a figueira, mas também, se disserdes a montanha: ‘Arranca-te daí e joga-te no mar’, acontecerá. Tudo o que na oração, pedirdes com fé, vós o recebeis” ( Mt 21, 21-22) Desejo a todos vocês uma FÉ INABALÁVEL 🙏 #deusébomotempotodo #deusnocomando #deusnocontrole #deusédeus #ibelieveinmiracles #milagre #meninadosolhosdedeus #abençoada #iluminada #blessed #mariapassanafrente #espíritosanto

A post shared by ✨ Dra. Dieynne Saugo 👉 Dra Fit (@dradieynne) on

Dieynne segue internada no hospital Albert Einstein, em São Paulo, em estado estável. Segundo familiares, a jovem ainda não tem previsão de alta, pois os médicos estariam aguardando a redução do edema de glote para liberá-la. A irmã da médica disse, ainda, que não haveria mais risco de amputação da mão esquerda, mas que a irmã ainda estaria enfrentado dificuldades para ingerir alimentos.

Publicidade