in

Covid-19 pode estar infectando gatos

Investigadores continuam buscando mais informações sobre o coronavírus.

Gatos - Shutterstock
Publicidade

Uma nova pesquisa sobre a Covid-19 está deixando um alerta bem importante, sobre a convivência entre os humanos e seus animais de estimação. De acordo com investigadores da Universidade Agricultural de Huazhong, na China, as pessoas poderiam estar infetando os gatos com a Covid-19, contrariamente ao que foi inicialmente falado. O estudo foi publicado na revista Galileu e revela os testes em gatos e alguns tiveram mesmo infetados com o  coronavírus. Então, é mesmo possível transmitir a doença para os felinos. 

Estudo analisou amostras nasais de 102 gatos

Porém, de acordo com os investigadores, os gatos não apresentariam sintomas da doença. Analisando suas amostras nasais, eles tinham anticorpos do coronavírus e tudo indica que eles foram contagiados pelos humanos, que estavam vivendo junto com eles. Então, a conclusão de essa investigação é que os gatos podem realmente contrair a doença. 

Ainda assim, nem um desses gatos testou positivo para Covid-19. O que aconteceu é que eles tinham os anticorpos da doença, ou seja, eles tiveram e superaram a Covid. No momento dos testes, eles já estariam curados. Portanto, o estudo avaliou 102 gatos, entre janeiro e marco de 2020, na China. 

Publicidade
Publicidade

Chineses concluem que os gatos podem pegar o coronavírus

Desses 102 felinos, 46 eram abandonados de abrigos, 41 estavam em hospitais veterinários e 15 estavam em casas, em famílias com infectados com o SARS-CoV-2. Dentre essa amostra, 15 dos 102 apresentaram os anticorpos do vírus, sendo que os três gatos, que tinham os anticorpos mais elevados, provinham precisamente de casas de famílias com humanos infectados com Covid-19. 

Publicidade

“Embora a infecção em gatos de rua não possa ser totalmente compreendida, é razoável especular que essas infecções são provavelmente devido ao contato com o ambiente poluído por SARS-CoV-2 ou pessoas com Covid-19 que os alimentem“, revelou o investigador Meilin Jin. Por essa razão, esse estudo sugere que as pessoas redobrem seus cuidados com os fatos: “Portanto, devem ser consideradas medidas para manter uma distância adequada entre os pacientes com a doença e animais de estimação, como cães e gatos, além de medidas de higiene e quarentena para os animais com alto risco”.  

Publicidade