in

Inclusão digital na terceira idade ajuda no controle da ansiedade e doenças relacionadas à memória

Ensinar nossos pais e avós a utilizar a internet de maneira benéfica se torna nossa obrigação em muitos motivos.

Grapi Cuidadores
Publicidade

Estamos vivendo em um universo cada vez mais conectado, onde as informações costumam ser tão rápidas quanto o tempo e os materiais disponíveis para consumo e aprendizado já não são mais condizentes com a nossa rotina de vida.

Entretanto, quando as pessoas entram no que costumam chamar de “melhor idade”, e poderem usufruir dos benefícios deste novo universo, pouco conseguem por terem pouca ou nenhuma familiaridade com essas tecnologias.

Por isso, debater o tema da inclusão digital na terceira idade se torna fundamental. Afinal, não estamos falando apenas sobre os benefícios tecnológicos e intelectuais, mas em toda a melhora de uma qualidade de vida que as plataformas digitais podem proporcionar para essas pessoas.

Publicidade

Segunda uma pesquisa realizada pelo veículo de comunicação G1, em 2018, 80% dos idosos que tinham algum tipo de acesso à inclusão digital passavam a sofrer menos de ansiedade e doenças relacionadas à memória.

Publicidade

Ensinar nossos pais e avós a utilizar a internet de maneira benéfica se torna nossa obrigação em muitos motivos. O primeiro, podemos mencionar pelo encurtamento da distância. Sabemos que muitos idosos sofrem de saudade dos familiares, muitas vezes pela distância física imposta pelo dia a dia.

Desta maneira, além de se sentirem mais próximos da família, conseguem ter a sensação de que não são esquecidos. Sem contar o processo de comunicação muito mais facilitada, com um áudio através de aplicativos de mensagens e até mesmo, chamadas de vídeos.

Outro fator que influencia demais na inclusão digital é o de fazer com que essas pessoas voltem a se sentir úteis. Muitas delas podem acabar sofrendo com doenças como o próprio Alzheimer. E, ensinando a procurar conteúdo online, falar com a família e buscar temas atrativos na internet, pode ser uma excelente atividade para ajudar a exercitar a mente.

Assim, os novos aprendizados ajudam a exercitar o cérebro, melhoram a memória cognitiva e principalmente, auxiliam na capacidade de raciocínio rápido e eficaz.

Por mais que pareça confuso e bastante complicado no início, incluir pessoas da terceira idade no universo digital pode ser muito mais simples e eficiente, tanto para a família, como para a pessoa, que certamente, não se sentirá para trás nos avanços do universo atual.

Publicidade
Anna Müller

Escrito por Anna Müller

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.