in

Polícia faz descoberta impactante sobre comida que matou dois moradores de rua e cachorro em SP

Pessoas morreram no dia 21 de julho, após comerem alimento entregue por voluntários em Itapevi, na Grande São Paulo.

Extra
Publicidade

A morte de dois moradores de rua e de um cachorro chocou o país na última semana. Após comerem comida entregue por voluntários, eles vieram à óbito. Alem dos sem-teto, outras duas pessoas, que também fizeram uso do alimento, passaram mal e foram internadas.

Nesta quinta-feira (30), a Perícia da Polícia Civil constatou que a comida entregue a estas pessoas em Itapevi continha veneno de rato. José Luiz de Araújo Conceição, de 61 anos, e Vagner Aparecido, de 37 anos, e o cão que os acompanhava em um posto de combustível abandonado, morreram após comerem as marmitas no dia 21 de julho. O caso segue sendo investigado pelo delegado Aloysio Mendonça.

Em entrevista ao G1, o delegado confirmou que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) encontrou “terbufos”, componente altamente tóxico, utilizado na fabricação do popular chumbinho. A substância foi encontrada em algumas marmitas e no estômago do cachorro. O laudo da necrópsia realizada nos moradores de rua confirmará se eles morreram por conta do envenenamento. 

Publicidade

Testemunhas

Segundo testemunhas, os moradores de rua espumaram pela boca e alegaram sentir muitas dores na barriga após ingerirem o alimento. Mergulhada nas investigações, a polícia busca pistas para saber quem teria colocado o veneno nas comidas, uma vez que, aparentemente, o alimento não estava contaminado quando foi entregue.

Publicidade

Dias depois do ocorrido, a mulher que preparou o alimento se apresentou de forma voluntária à polícia, informando que seus familiares comeram do alimento e não passaram mal. Ela foi ouvida e liberada na sequência.

Publicidade