in

Homem que fraudou auxílio emergencial compra Lamborghini e se dá mal

Homem chegou a usar mais de 10% do dinheiro fraudado no auxílio voltado para empresas.

Auto Esporte
Publicidade

A exemplo do Brasil, o governo dos Estados Unidos também adotou o programa Auxílio Emergencial para ajudar os trabalhadores em tempos de crise instituída pela pandemia do coronavírus. E por lá as fraudes são ainda mais surpreendentes. Na última segunda-feira (27), um homem foi preso na Flórida após comprar um Lamborghini Huracán fixado no valor de R$ 1,6 milhão, com dinheiro fraudado do auxílio.  

De acordo com o Departamento de Justiça norte-americano, o homem identificado como David Hines, de 29 anos, foi preso após fraudar o sistema de auxílio emergencial, conseguindo assim fazer a solicitação de dinheiro centenas de vezes. As autoridades acreditam que Hines tenha fraudado mais de R$ 20 milhões.

Hines fraudou o sistema forjando pedidos em nomes de várias empresas. O expressivo montante solicitado por ele foi feito em um programa bastante parecido com o Pronampe, benefício criado pelo governo brasileiro, que auxilia a vida financeira de empresários, evitando assim que os estabelecimentos fechem ou decretem falência neste período de pandemia.

Publicidade

O dinheiro que seria para pagamentos de funcionários e de débitos, serviu para Hines utilizar para ostentar na compra do Lamborghini Huracán, orçado em US$ 318 mil.

Publicidade

Do montante total de pouco mais de R$ 20 milhões que David Hines fraudou, ele já tinha gasto cerca de R$ 2,5 milhões.

Casos no Brasil

No país sul-americano, nenhum caso do tipo de Hines foi identificado. No entanto, milhares de cadastros foram cancelados pelo Ministério da Cidadania por suspeita de fraude no recebimento do Auxílio Emergencial, em que as pessoas que não precisavam, e que não respeitavam os requisitos do programa estavam recebendo o benefício.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade