in

Casal reclama de funcionária do cartório que não queria registrar recém-nascido com o nome de Lucifer

A funcionária tentou dissuadir os pais a mudar a escolha por causa do significado do nome escolhido.

G1
Publicidade

Você colocaria o nome Lucifer no seu filho? A polêmica acabou virando manchete na mídia e se tornou alvo de polêmica. O motivo é que um casal britânico decidiu que o filho deveria se chamar Lucifer. Os pais da criança tiveram o maior trabalho para conseguir fazer o registro da criança por causa da escolha do nome.

A funcionária que estava encarregada de realizar o registro do recém-nascido tentou convencer os pais a mudar a escolha do nome. Ela argumentou dizendo que a criança “não teria sucesso na vida” com esse tipo de nome, relataram os pais do menino ao jornal The Sun. Dan e Mandy Sheldon fizeram uma queixa formal para reclamar sobre a maneira que foram tratados na repartição do município de Chesterfield.

“Estávamos empolgados em registrá-lo, mas a mulher nos olhou com total desgosto”, relatou o pai. “Ela falou que Lucifer nunca seria capaz de arrumar um emprego e que os professores não gostariam de ensiná-lo. Tentei explicar que não somos pessoas religiosas, e Lucifer em grego significa ‘portador da luz’ e ‘manhã’, mas ela não quis ouvir”, explicou.

Publicidade

Os pais ainda contaram que a funcionária teria dito que era algo ilegal colocar esse nome em uma criança na Nova Zelândia e que talvez eles escolhessem outro nome e chamassem a criança de Lúcifer em casa. Eles foram instruídos a aguardar em uma outra sala enquanto a encarregada do registro fazia a verificação da possibilidade de registrar o menino com o nome satânico.

Publicidade

A verdade é que os pais afirmam achar o nome bonito e singular e que jamais esperam que possa trazer qualquer tipo de transtorno para o filho. Já o Conselho do Condado de Derbyshire, onde aconteceu o registro da criança, se explicaram sobre o fato e até pediram desculpas. Contudo, eles afirmaram que é dever dos notários fazer o aconselhamento nesses casos, já que em alguns casos algumas pessoas não tem conhecimento de certos significados.

O Reino Unido não tem muitas restrições legais sobre nomes, porém, vale ressaltar que se tiver obscenidades e números não costumam ser aceitos. Já a Nova Zelândia, que foi citada pela funcionária, proibiu o nome Lúcifer de ser usado desde o ano de 2013.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade